sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

BONS VOTOS ...

(... MAS NÃO SE ASSUSTEM QUE, DESTA VEZ, NÃO É POLÍTICA:))


Aos Seguidores (4), Leitores assíduos ( 1, tanto quanto sei) ou não e Comentadores (muito) acidentais deste blogue, bem como às suas Famílias, desejo que vivam um Natal Espiritual, repleto de Paz e Harmonia, e que o Ano Novo os presenteie  com muita Saúde, Força, Energia e Espírito Solidário, tão necessários para enfrentar os tempos que correm; e, já agora, uma boa dose de Sentido de Humor e de Boa Disposição, também tão necessários a bem viver a Vida. 
Eu sei, eu sei, não falei em dinheiro, mas é que, por um lado, ensinaram-me não ser de bom tom invocar o vil metal, por outro lado, não quero ser sádica ou portadora de falsas ilusões. 
Está bem, posso incluir o bolo-rei, a lampreia de ovos e outras bagatelas que Vos façam felizes.  

Enfim, o que eu quero,  verdadeiramente, é que sejam Felizes!


  




COISAS DO NATAL

- O coelhinho foi com o palhaço e o Pai Natal no comboio ao circo, mais ou menos assim rezava, cheio de bonomia e ternura, o anúncio a uns chocolates de Natal, nos idos de 80 (?) do século passado.

Agora, que a inocência dessa aliciante promessa infantil parece ter sido erradicada do mapa das nossas vidas, a lengalenga altera-se radicalmente, passando a obedecer à nova ordem, para soar assim: 

- O coelhão foi com o subsídio de férias e o subsídio de Natal no avião aos mercados. 

A história também tem uma continuação diferente, pois, em vez de os pequeninos e os maiores se deliciarem com as fantasiosas miniaturas de chocolate, os mercados aguçam a dentuça e esfregam as mãos de contentes, enquanto o coelhão, arfante, língua de fora, aguarda a recompensa, com a consciência do dever cumprido (o dever de proteger, condignamente, os interesses dos mercados, entenda-se). 

As criancinhas, os avozinhos e os que ficam pelo meio que se lixem, são apenas pessoas e o que valem simples pessoas comparadas com suas excelências os mercados?



HIDE PARK

LÁ, COMO CÁ 

SÓ LÁ OU, SOBRETUDO, LÁ

QUANDO A NOITE CAI

UM VOO

AO ACASO 


                

           

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

DE PASSAGEM


Passei só para ver se ainda cá estavas.

E estás! Blogue fiel, mais fiel que a dona, que, volta e meia, vai dar meia volta, deixando-te por aí, à solta.

Já que passei, deixo cá algo, apenas um mar crepuscular.








quarta-feira, 2 de novembro de 2011

ENCONTRO/DESENCONTRO


CHAMAMENTO


ENCONTRO/BEIJO


DISTANCIAMENTO/DESPEDIDA


ENSIMESMAMENTO/RACIONALIZAÇÃO


HESITAÇÃO


GOOD-BYE/FOREVER



AND EVER ...

AND WHAT?



terça-feira, 1 de novembro de 2011

FORA DO BARALHO?

OH! OH! Ou eu me engano redondamente ou desta do REFERENDO NA GRÉCIA é que muito boa gente (arreeee!), tipo Merkel-Sarkozy e outros que tal, não estava, mesmo, nada à espera! Ainda não percebi muito bem SE se trata de um acto de EXTREMO DESESPERO se de EXTREMA LUCIDEZ (ou ambos ...). Tanto mais que deverá ser visto em conjugação com a substituição das chefias militares ...

Todavia, creio que não é necessário ser clarividente para, desde já, saber e/ou concluir que:
  1. MAIS CEDO OU MAIS TARDE, A FALTA DE SOLIDARIEDADE PAGA-SE ... E O PREÇO SÓ PODE SER ALTO;
  2. O DESRESPEITO POR UM POVO TEM LIMITES E, NO MÍNIMO, ESTES NÃO PODEM SER PISADOS;
  3. ALIÁS E COMO ESTÁ BEM DE VER, O DESRESPEITO POR UM POVO É INADMISSÍVEL;
  4. AS CONSEQUÊNCIAS SÃO IMPREVISÍVEIS, NA JUSTA MEDIDA EM QUE O REGISTO SAI, COMPLETAMENTE, DO PADRÃO (SUPOSTAMENTE) ESPERADO PELOS QUE IMPÕEM E DOMINAM O ACTUAL (DESGRAÇADO) ESTADO DAS COISAS;
  5. O RUMO DA 3ª GUERRA MUNDIAL - TAMBÉM ESTA DESENCADEADA E  LIDERADA PELA ALEMANHA E, A MEU VER, JÁ EM MARCHA, EMBORA COM ARMAS DISTINTAS DAS CONVENCIONAIS E COM OUTROS "JUDEUS" DE ELEIÇÃO - RESERVA INSONDÁVEIS, SE BEM QUE NÃO IMPENSÁVEIS, SURPRESAS;
  6. A UMA FALSA PAZ  E A UMA JUSTIFICADA EFERVESCÊNCIA É SEMPRE PREFERÍVEL UMA CLARIFICAÇÃO DEMOCRÁTICA;
  7. EM QUALQUER DOS CASOS OS CUSTOS SERÃO TERRÍVEIS (E JÁ ESTOU A DAR POR DESCONTADOS OS QUE SE TÊM VINDO A REGISTAR E QUE SÃO ENORMES; E REFIRO-ME AOS CUSTOS EM TERMOS HUMANOS OU SOCIAIS, PADRÃO QUE SE ENCONTRA TOTALMENTE SUBVERTIDO PELO DOMÍNIO DO ECONÓNICO E DO FINANCEIRO, SE É QUE ISTO PODE ARVORAR-SE EM PADRÃO);
  8. A IDEIA DA EUROPA ATÉ PODE TER SIDO UM SONHO (QUE DUVIDO ...), MAS, NESTE MOMENTO, NÃO PASSA DE UM MONUMENTAL PESADELO!



VIVA A GRÉCIA, VIVA A IRLANDA E VIVA PORTUGAL!


 

terça-feira, 25 de outubro de 2011

AO MEU PAÍS!

OLHO E NÃO SEI
SE ÉS OLHO
SE PEIXE
OVO
SE OVNI
SE ÉS UMA SILHUETA
SE O TEU VOLUME SE ESVAZIOU EM SANGUE
EM COR
NA SUA FALTA
MAS QUEM PODERÁ SABER?
NA TUA COR NÃO VISLUMBRO LUZ
NEM NO TEU SANGUE, VIDA
DA TUA FORMA IGNORO O SENTIDO
A RAZÃO
APENAS ANTECIPO INTERROGAÇÃO
INTERROGAÇÃO MUDA
ASSUSTADA
IMOBILIZADORA
NEM UM BRILHO DE LUZ
À ESPREITA
ESTARÁS AFOGADO EM SANGUE DERRAMADO?
A COR DO DESESPERO
QUE O DESESPERO É DESESPERADO
QUÃO DESESPERADO!
SAI DESSA CONCHA
ENFRENTA A ONDA
REVELA-TE
REBELA-TE
DIZ-ME QUEM ÉS
DIZ-ME O QUE ÉS
SE ÉS CAPAZ!


QUE ESTÁ NA HORA, AGORA!


 

QUESTÃO DE REFLEXÃO



quinta-feira, 20 de outubro de 2011

INDIGNADA, E MUITO!

Se me pedissem uma definição dos tempos que correm, limitar-me-ia a dizer, difíceis e perturbadores.
Difíceis, pelas razões óbvias (só as não verá quem não quiser), de que saliento as tão drásticas e violentas quão sistemáticas e céleres medidas, que vêm sendo adoptadas por sucessivos governos, com relevo para o actual, em detrimento das classes destituídas de poder - conceito que me parece o adequado a abranger (já) não só as classes tradicionalmente mais desfavorecidas, mas também e, diria mesmo, sobretudo, a usualmente designada classe média, nas suas várias gradações – e que têm como contraponto um tão exacerbado quão descarado proteccionismo da classe dotada do poder – sim, este conceito alberga uma única classe, a detentora dos interesses do grande capital/finança, que, como está à vista de qualquer pessoa medianamente inteligente e atenta, é a que, verdadeiramente, governa o mundo, embora por interpostas pessoas, a quem o poder de governar é atribuído por processos formalmente democráticos, mas cuja legitimidade democrática se esvai, posto que, uma vez colocadas no poder fazem, exactamente, o contrário daquilo que prometeram, quer dizer, daquilo a que se comprometeram, em (dispendiosas e, vai-se a ver, falsas) campanhas eleitorais.
Portanto e em síntese, assiste-se a um monumental e vergonhoso aumento do, já por natureza, enorme fosso que separa, sem contemplações, as, por mim denominadas, classes destituídas de poder e a classe dotada do poder, o que, em minha opinião, representa um desalmado retrocesso num caminho, possível e desejável, de diminuição desse fosso, que já nem digo da sua supressão.
Criando, pois, cada vez mais vastas legiões de escravos, ao serviço de um reduzidíssimo vip clube.
Tudo isto, rompendo, violenta e impunemente, o paradigma do Estado Social, mas também o do próprio Estado de Direito, a par de um conjunto de princípios tão elementares quão necessários à Paz Social e à Saúde Colectiva (e não me refiro, neste caso, à saúde física), como sejam, o do Respeito pelo Próximo, o da Solidariedade Social, o da Justiça e o da Equidade.
Tudo isto, com recurso a estrondosas manipulações, mentiras e argumentos falaciosos, nomeadamente, a começar nas promessas eleitorais e a acabar no seu descarado incumprimento, sob alegação de factos (???) cuja demonstração objectiva e inequívoca nunca é posta ao nosso alcance, vá-se lá saber porquê (cá por mim, até faço uma ideia). Com violação, portanto, dos mais elementares princípios de Transparência, como sejam os da Verdade e da Prestação de Contas.
Daí que, a par de difíceis, considere estes tempos perturbadores!
Acrescem, evidentemente, muitos outros motivos de perturbação ou apreensão, que se prendem, essencialmente, com a aparente incongruência (mesquinhez, estupidez, plano negro?) das razões (definitivamente, não razoáveis) deste status quo e, inerentemente, com a sua evolução (a menor réstia de lucidez não permite augurar um bom desfecho).
Por agora, fico-me por aqui, pois, aqui e agora, este exercício pretendeu, apenas, testemunhar o fundamento por que participei na manifestação do passado dia 15 (a de Lisboa).
Esse fundamento tem, pois, um nome: INDIGNAÇÃO!
Essa participação tem, pois, um sentido: CUMPRIMENTO DUM DEVER CÍVICO!
Em qualquer caso, em nome da DEFESA DE DIREITOS ESSENCIAIS e, sobretudo, de PRINCÍPIOS INALIENÁVEIS! 
Quem conseguiu ler até aqui, talvez esteja interessado em ver as fotos que seguem, ilustrativas da MANIFESTAÇÃO PACÍFICA DOS INDIGNADOS.

A palavra de solidariedade que os políticos não deram!

Pois, também!

Perguntas bem!

Tentar a sorte!

Foragida, pois!

Chamar os "boys" pelos nomes ...

Devia ser, devia ...

Há alternativa: a escravatura passiva!

Criatividade em estado puro!

Assim seria, num Estado de Direito!

A cada cidadão, pensar nisto, na hora de votar!

Não é a casa do anterior Passos Coelho?

Indignação também é luto!

Em memória de ...

Manter-se-ia a fome, dada a desproporção ... (mas deveria ser motivo de séria reflexão, para os ricos)

A monumental e merecida assobiadela, à passagem deste friso, ali ao Rato!

É assim, não há causa sem consequência, ou seja, uma globalização leva à outra ...


O que é isto, Mãe?

Vá-se lá saber porquê, figurei um coelho em vez do cão, um coelho-cão, entenda-se!

Oh! Oh! às ordens de quem correu esta filmagem contínua?

A manifestação é PACÍFICA, mas nunca se sabe, devem ter pensado os mandantes dos srs. Agentes; eles lá sabem o que merecem ...

Afinal, estamos todos no mesmo barco, não?

Quem tem medo do teu rugido?

FOMOS MUITOS!

É, exactamente, do que se trata!

Outras vozes!

Sou levada a crer que a ideia final é, mesmo, essa!

Uma face única, mais tarde ou mais cedo ...

Oh! Oh! Ganda filme!

É no que dá!

ONDE PARA A JUSTIÇA?

ONDE PARA O DINHEIRO?

Um futuro de incerteza que a ternura não devia consentir!

E o BPN, pá? E as privatizações, pá? E a Madeira, pá? E a República, pá? E ...

Os escravos levantam-se!

Gregos e mal pagos ...

Postos a, vilmente, servir 1%!

Da cor dos cravos!

Eleva-se um, qual mensageiro!

O reforço policial ...

E o reforço popular ...

Um leão domado!

A chatice é que nós vamos no barco, embora não tenhamos escolhido estes comandantes!

TODOS JUNTOS

ATÉ CONSEGUIRMOS

POR UM PORTUGAL MELHOR!

Após um mais que longo Verão, invasor do Outono, as nuvens adensam-se sobre ...