terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

CAPI E SIBELA


E agora interrogam-se, - mas que título é este?

Muito simples, o título dum livro, mais precisamente, "Capi e Sibela (Uma história de asaços)", da autoria de Salvina Ribeiro, com ilustrações de H. Mourato.


Trata-se dum conto sobre dois pássaros, ele, uma catatua de nome Capi, ela, uma papagaio chamado Sibela. Mas quem diz pássaros, pode dizer pessoas... 

Passado o nascimento, a infância e uma adolescência bem integrada no bando lá daqueles ares, Capi veste o papel de salvador de Sibela, que, por azares do destino, se encontra numa situação de risco, quase à mercê das garras dum qualquer predador. Tornam-se amigos, cúmplices, até que ela sente necessidade de procurar a família, da qual fora precocemente separada, por razões que aqui não convem revelar. Separam-se. Ele regressa ao bando. Ela entrega-se ao seu desígnio, passando por aventuras várias. Até que...  

E mais não posso contar, pois creio que estarão interessados em ler o livro e não perdoariam a antecipação do desfecho. Eu, no vosso lugar, não perdoaria!

Posso é acrescentar que se trata duma narrativa aliciante, onde se surpreende uma cadência serena, salpicada de bom humor e duma enorme sensibilidade. Por outro lado, serve de veículo à reflexão sobre um conjunto de valores humanos, quer no plano da realização individual - v.g., a compreensão das raízes, a independência, a coragem e a perseverança, enquanto factores de equilíbrio emocional e capacidade de decisão -, quer no plano relacional - v.g., a amizade, a cumplicidade e a compreensão do outro, a aceitação da diferença e o sentido da entreajuda. 

Merecem, ainda, realce os belos desenhos que ilustram o livro. 


E agora só me falta esclarecer - para quem não saiba, como era o meu caso - que "asaços" são abraços com asas, quer dizer, abraços entre pássaros ou - digo eu - abraços muito carinhosos.


Pronto, já podem ir ler!







Sem comentários:

Enviar um comentário