sábado, 23 de julho de 2016

FEELING SO FUCKING SILLY!


Por esta altura, nada me incomoda mais do que a onda (aliás, tsunami) de calor que se faz sentir, prometendo ficar (como diria aquele escritor que já prometeu falhar e perder, coisas que eu, pela minha parte, cumpri, mesmo sem necessidade de promessas). Bem, há mais uma coisinha altamente incomodativa e irritante, a estupidez. Não deve ser por acaso que lhe chamam silly season. O grande problema é que se contagia. Falo por mim, evidentemente. Ainda há pouco, saí do túnel das Amoreiras a caminho de Alcântara e eis-me, sem apelo nem agravo, em cima da Ponte 25 de Abril! Como se o núcleo (mais) parvo do subconsciente pretendesse impor-me o Algarve, para me encontrar com os restantes quinze ou trinta milhões de portugueses que para lá rumaram ou hão de rumar até ao fim de Agosto e mesmo por Setembro dentro. Menos mal que o atravessamento da Ponte é sempre simpático, sob o prisma panorâmico, que o trânsito, apesar de compacto, se desenrolava sem pausas dramáticas, que já tenho a minha dose de imprevistos, com a aquisição do pertinente jogo de cintura, e, finalmente, que o carro tem ar condicionado. E, mais importante, não está avariado (o ar condicionado). Contrariamente à janela do lado do morto, que deixou de funcionar há uns meses, quer dizer, ela funcionar, funciona, mas num estilo que não lhe serve a função. Passo a explicar, abre na perfeição, mas recusa-se a fechar. Quando se encontra lá em cima, no ponto de encerramento, volta a descer e, desaustinada, põe-se a andar para baixo e para cima, qual leviana imune ao desespero do comando. É claro que, munida da minha prática de adaptação a imprevistos, arranjei, de imediato, uma maneira de a tramar. Manobrei o botão cuidadosamente e, no exacto ponto do fecho, desliguei a ignição ou lá como é que se chama (sem me esquecer de começar por parar o carro...). Advirto que (para além de criatividade) é necessária elevada precisão matemática, mas o que é isso para uma pessoa cheia de reflexos! Evidentemente, achei-me deveras esperta, pelo menos mais do que a janela teimosa. E mais do que os senhores da Santogal, que queriam não sei quantos euros - mais de cinquenta - só para identificarem a raiz do problema e apresentarem orçamento para o arranjo. - Ah!, então o orçamento não é gratuito!, exclamei, após informação (deles) em contrário. - Não, minha senhora, o orçamento é gratuito. Ok - pensei - wathever, sempre soube que os senhores deste ramo, para não falar noutros, consideram as mulheres intelectualmente diminuídas. Ok, a janela será arranjada no Dia se S. Nunca. Reforcei a ideia de trocar de carro e, enquanto não, vou avisando os penduras para não darem ordens à janela. Parece-me que ela não gosta, fica chateada de não poder andar para cima e para baixo a gozar comigo. Os da Santogal também não devem ter gostado, mas isso é problema deles.
Continuando com a estupidez, que o calor já se sabe. Uma pessoa sintoniza a rádio (para a televisão não há, mesmo, paciência, por demasiado gráfica e embrutecedora), a fim de se actualizar sobre o número de mortos do dia resultantes de assassinatos perpetrados a soldo (ou  em mera publicidade gratuita) do Estado Islâmico, do Sr. Erdogan ou doutras entidades igualmente respeitáveis, e depara-se com quê? 
Primeiro, com o diabo à solta no hemiciclo de S. Bento (hemiciclo fica sempre bem e dá para fantasiar se as coisas poderiam ser diferentes caso se tratasse duma sala com outra disposição, por exemplo, oval)! Ainda se vestisse Prada! Mas não, trata-se dum diabo rasca, que o Sr. Costa, num dos seus delírios de optimismo com os pés no ar (como diria o outro), jura combater, na mais pura tradição heroica portuguesa (agarrem-me se não…), e que o Sr. Passos Coelho ameaça reeditar, lá para Setembro, numa das suas tristes exibições de mesquinhez, herdadas duma mal digerida tradição judaico-cristã (no seu pior).





Segundo, em reacção ao morticínio de ontem, em Munique - entretanto, já houve, pelo menos, mais um, em Cabul, com para cima de sessenta mortos, que o Estado Islâmico, perante a dúvida sobre se o primeiro lhe é atribuível, não se fica -, o Professor Marcelo vem dar conta do teor da mensagem que enviou à Sr.ª Merkel, expressando horror e solidariedade, e aproveita para esclarecer que os atentados aumentam a sensação de insegurança na Europa. Ora, aí vou eu de ficar pasmada, pois sempre pensei que, numa tal circunstância, fosse caso para manifestar, sei lá?, contentamento e animosidade, e constatar que não parava de aumentar o sentimento de paz e segurança na Europa. Ao mesmo tempo, recordo, com nostalgia, o tempo em que havia a figura de porta-voz da presidência da República. Para não falar de quando o agora presidente expendia comentários na TVI, estação que, de todo, não frequento. E entro em divagações sobre como seria muito mais divertido se o Professor começasse a comunicar coisas menos óbvias, como por exemplo, quando foi a última queca presidencial (grande lata, o corrector ortográfico, esse grande ditador, queria substituir esta palavra por queda!) e que sensações e advertências lhe suscitou.



Terceiro, espanta-me o conhecimento de que hoje é dia de homenagem ao Sr. Cavaco Silva. Não admira, ouvi a notícia pouco depois de acordar, com os neuróticos ainda em ponto morto. À medida que fui despertando para a vida, quer dizer, para o calor e para a estupidez, acabei por perceber, lembrei-me de ele ter sido, em tempos, o imbatível campeão de rodagem de automóveis, na modalidade olímpica de rodagem-que-te-leva-mais-longe-e-por-mais-longo-aliás-demasiado-tempo de que há memória. Acabei, mesmo, por perceber a razão por que os causadores da queda do BPN, grande responsável por andarmos há anos a viver acima das nossas possibilidades, estão em liberdade. Será, certamente, para poderem homenagear o responsável pela sua ascensão política e, pelos vistos, não só.



Enfim, tomara que chova, depressinha!
Se acharem este texto demasiado parvo, por favor não me levem a mal, a culpa é (ao menos em grande parte) do calor! De qualquer das formas, podem sempre procurar melhor, mesmo sem saírem aqui do blog.
Bons banhos!

Nota: fotos obtidas em pesquisa google.
    


Sem comentários:

Enviar um comentário